Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2015

CRÔNICA DE CADA DIA

Imagem
Imagem meramente ilustrativa da web
ATÉ QUE A MORTE NOS UNA Pawlo Cidade
“Hoje em dia o divórcio é inevitável, não dá para escapar. Ninguém aguenta conviver com a mesma pessoa por uma eternidade. Eu, na realidade já estou em meu terceiro casamento – a única diferença é que casei três vezes com a mesma mulher.” Enunciado assim é difícil crer que os casamentos de hoje durem tanto tempo. Há quem diga que os casamentos de outrora duravam por dois motivos: medo de ficar sozinho ou religião. Acrescente-se a isso a infidelidade. Aperitivo que permitia ao homem – e raramente a mulher – pular a cerca, mas continuar casado com a mesma parceira. “Em casa, tenho comida, roupa lavada e limpeza, na rua tenho o que minha mulher não me dá.” Célebre frase de um sem-vergonha machista que sentia a necessidade de uma escrava do lar, não de uma esposa.
Pois bem, finda a premissa (o mesmo que teoria, o conteúdo, a informação essencial que vai servir para escrever esta crônica) a partir da opinião de Arnaldo Ja…

CRÔNICA DO DIA A DIA

Imagem
GATO POR LEBRE Pawlo Cidade
Se você perguntar na Avenida Esperança onde fica a Rua Esperanto Perolato as pessoas vão erguer os sobrolhos e achar que você deve ter lido o endereço errado. Outros darão risada e alguns ainda vão repetir “Esperanto o quê?” Mas se você disser: “Rua do Cano”, todo mundo vai saber onde fica. E o nome que ficou na boca do povo, porém, algum vereador do passado na esperança de estar “prestando um (de)serviço à comunidade” apresentou um projeto de Lei que a batizou de Rua Esperanto Perolato. Nada contra o esperanto, esta língua artificial inventada por um médico judeu que não preciso citar o nome agora senão vocês vão acabar embrulhando a língua. Ah não ser que o nome faça jus ao significado real da palavra: “o que espera.” E é assim que vive o povo da Rua do Cano – digo “Esperanto”, esperando. Esperando tapar os buracos, asfaltar a rua, melhorar a iluminação pública, enfim!
Passada a introdução geográfica, cabe-nos chamar a atenção para um personagem conhecido d…